terça-feira, 02 de junho, 2015

O fantástico mundo de Piero Fornasetti

Estilo

Piero Fornasetti (1913-1988) projetou um mundo mágico, saturado de imagem e cor, que o transformou em um ícone do design cuja arte e técnicas resistem ao tempo. Sua obra é instantaneamente reconhecível, inimitável e atemporal.
Este gênio milanês foi pintor, escultor, designer de interiores e criador de mais de 11 mil produtos, entre objetos e mobiliário, um visionário que estava sempre à frente de seu tempo e que teve a sua época de ouro nos anos 60.
Entre seus temas preferidos, um dos mais recorrentes são o sol, os baralhos, arlequins, mãos, auto-retratos e balões.

fornasettiana

fornasetti-gorete-colaco-post-31

Mas as obras mais conhecidas são as 350 variações do rosto de uma mulher realizada em pratos e outros objetos. Fornasetti encontrou esse rosto folheando uma revista francesa e ficou impressionado: “O rosto de Lina Cavalieri é um verdadeiro arquétipo: a síntese de uma imagem de beleza clássica, como uma estátua grega, enigmática como a Monalisa.”

collage

fornasetti-gorete-colaco-post-51

fornasetti_03

martadelarica.es_wordpress_ad-spain-december-2012_--Captura-de-pantalla-2012-11-25-a-las-22.23.07

A colaboração única entre Valentino e Fornasetti foi desenvolvida a partir do mesmo fascínio combinado com a arte requintada e criativa que leva ao uso dos cinco sentidos como símbolos que tanto Valentino e Fornasetti usam para navegar o caminho de seu totalmente diferente vocabulário, estes sentidos são também os elementos que ativam a memória, o componente essencial na transformação e desenvolvimento de ambas as marcas.
valentino-combo

Seu filho Barnaba Fornasetti, continua produzindo os produtos que seu pai criou, porém são vendidos em pouquíssimas lojas no mundo.

100_anos_piero_fornasetti_01

| Lojas e ecommerce |

Spazio Fornasetti
Corso Matteotti, 1/A Milano

Concept Store
10 Corso Como
Corso Como, 10 Milano

Farfetch
www.farfetch.com.br

Fornasetti
www.fornasetti.com

por Renata Silveri
quarta-feira, 06 de maio, 2015

CLICK SURREALISTA

Estilo

Fiquei completamente fascinada quando vi a belíssima montagem que esta jovem fotógrafa francesa Cerise Doucède faz em seus ensaios fotográficos.
Suas obras com produção bem elaboradas e repletas de detalhes produzem cenários que dão vida ás pequenas distrações que permeiam o dia a dia de seus personagens. O resultado são imagens claramente influenciadas pela estética surrealista.

cerise-doucede

O processo de montagem das instalações de cada cena envolve primeiramente a suspensão de todos os objetos por cabo de nylon em um trabalho intenso que pode durar até três dias de produção, e em apenas uma hora após os cliques necessários tudo é desmontado e volta ao normal novamente. Olhando para estas fotos fica difícil de acreditar, não?

6.jpg.CROP.original-original

A ideia de um de seus ensaios mais famosos, a série “Égarements” que traduzido para o português quer dizer “Distrações” foram produzidas entre 2010 e 2012 quando Cerise Doucède ainda estava na faculdade de design gráfico, sua vontade era de reproduzir aqueles momentos em que algo faz com que se perca nos próprios pensamentos. Foi uma das obras vencedoras do Prêmio HSBC de Fotografia de 2013.

egarements-by-cerise-doucede-9

A montagem desta foto é a favorita da fotógrafa por lembrar sua infância, em que comenta “ainda sinto o aroma das tortas de maçã na cozinha”.

PorCeriseDoucede (10)

RM-PERE

A maneira com que Cerise encontrou para traduzir suas ideias foi de criar cenários ganhando vida com objetos ao redor dos personagens.
Por trás de cada trabalho está uma produção minuciosa em que o resultado é uma imagem repleta de detalhes transformada por sua visão artística.

artigo-img-cerise-03

RM-FAMILLY

Além de todo trabalho nas montagens de sua produção, ela adora a relação que pode existir das pessoas com os objetos.

egarements08

“Todas as fotos deste ensaio demonstram aplicação, precisão e humor, além de muita técnica e um repertório que incrementam cada criação”, diz a consultora artística Emmanuelle de l’Ecotais.

Fotografia | Cerise Doucède |

por Renata Silveri